quarta-feira, 2 de março de 2016

Propina paga a Eduardo Cunha foi feita por meio de igreja ligada ao deputado, diz ministro

O Supremo Tribunal Federal - STF está reunido neste momento para decidir se aceita ou rejeita denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso Petrobras, ele pode virar réu em ação penal.
A defesa de Cunha diz que o Ministério Público omitiu dados favoráveis ao presidente da Câmara.
O ministro-relator Teori Zavascki disse que os indícios de crime de lavagem de dinheiro por Eduardo Cunha estão comprovados na denúncia: materialidade e indícios de autoria.
Segundo o ministro, o pagamento de propina a Eduardo Cunha foi feito por meio de uma igreja ligada ao deputado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário