sábado, 9 de abril de 2016

Votação do processo de impeachment no Plenário pode levar três dias, afirma Cunha

Sessão do impeachment de Collor em 1992
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, antecipou nesta sexta-feira (8) parte das regras que vão orientar as sessões do Plenário para votar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.
A tramitação do processo seguirá os prazos regimentais: 
1 - Votado o parecer da Comissão Especial do Impeachment, ele será lido na sessão ordinária seguinte. 
2 - Após a leitura, o documento será encaminhado para publicação no Diário do Congresso Nacional do dia seguinte; 
3 - 48 horas depois da publicação, inicia-se a discussão e votação do pedido de impeachment.
Para Cunha, a votação é lenta porque é nominal e os deputados costumam se manifestar. Como são 513 parlamentares, isso aumenta a duração da votação. “Há todo um conjunto de situações que têm que ser previstas por quem vai conduzir a sessão. Então, eu tenho que prever que vai ter três dias de sessão, no mínimo. Pode levar mais", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário