quinta-feira, 18 de agosto de 2016

MPE recomenda ao Executivo estadual que demita servidores

O Ministério Publico do Estado recomendou ao governo Robinson Faria que tome medidas para que o estado se enquadre dentro da chamada Lei de Responsabilidade Fiscal.  O MPE deu 60 dias ao executivo estadual para as adequações, e sugere o que deve ser feito.
De acordo com o MPE, o estado deve reduzir, em pelos menos 20%, das despesas com cargos em comissão, contratos temporários e funções de confiança. Outra alternativa apontada pelo Parquet seria a exoneração de servidores estáveis ou não.
Sério??????

Aposentadorias
Dentre as medidas não obrigatórias sugeridas está a inativação dos servidores não estáveis que ingressaram no serviço público, sem concurso, entre os anos de 1983 e 1988, através de Plano de Aposentadoria Voluntária, ocasionando considerável economia decorrente do não pagamento de abono de permanência, de contribuição previdenciária patronal, de parcelas indenizatórias, tais como auxílio-alimentação e auxílio-transporte, e de gratificações e adicionais não incorporáveis para fins de aposentadoria, além do pagamento de proventos proporcionais ao tempo de serviço.



Pimenta no olho do outro é refresco
O Ministério Público, Judiciário e Legislativo deveriam começar dando exemplos, como a extinção do chamado auxilio moradia, entre outras vantagens que o servidor publico comum, jamais sonhou em obter. 
Como diz o velho ditado: pimenta no dos outros é refresco.

COOPMED
A propósito, se  Estado já se encontra "nas mãos da  Coopmed" porque não terceirizar logo todo serviço médico????? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário