domingo, 27 de novembro de 2016

Gravação feita por ministro Calero foi "indigna", diz Temer

O presidente Michel Temer contou entrevista na manhã deste domingo, 27, que ainda não tem o nome para substituir o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero que pediu demissão depois que denunciou pressões do também ex-ministro da Articulação Política, Geddel Vieira, para liberar um empreendimento imobiliário em Salvador.
O empreendimento fica numa área de preservação histórica onde o ex-ministro Geddel tem um apartamento de R$2,6 milhões. 
Sobre uma suposta gravação feita por Calero durante uma conversa com Temer para tratar do assunto, o presidente adjetivou a ação como ato "indigno" e disse que vai exigir que esse conteúdo venha à luz. "Espero que essa conversa logo venha à luz, pois sou cauteloso com as palavras", falou Temer.
Michel Temer relatou que foi procurado, à época, pelo ex-ministro Calero e aconselhou-o a consultar a Advocacia Geral da União para se pronunciar sobre o caso do empreendimento.

Gravações oficiais
O presidente Temer adiantou que "está pensando" a pedir ao Gabinete de Segurança Institucional que grave todas as audiências com a presidência da República, para que ninguém especule sobre falas.


Veja também: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário