sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

‘Se Eike for para Alemanha, fica difícil trazê-lo’, avalia especialista

O professor de direito penal internacional da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e procurador regional da República Artur Gueiros considera que será “muito difícil” trazer o empresário Eike Batista, que tem dupla nacionalidade (brasileira e alemã), de volta para o Brasil, caso ele vá para a Alemanha, país que não extradita seus nacionais.
Empresário Eike Batista é alvo da Lava Jato em Brasília
Entrevistado pelo Estadão, o especialista avisa que se Eike for para a Alemanha, "vai ser muito difícil trazê-lo, porque a Alemanha não extradita nacionais. O governo brasileiro até poderia tentar uma extradição por vias diplomáticas. Mas a repercussão negativa da situação carcerária no Brasil, com as rebeliões, pode ser um elemento contra".
Veja também:
Interpol incluirá o nome de Eike Batista na lista vermelha dos foragidos

Nenhum comentário:

Postar um comentário