domingo, 7 de maio de 2017

Três meses após rebelião de Alcaçuz, três corpos e 15 cabeças esperam por exames de DNA

Reportagem da Folha de São Paulo deste sábado, 06, mostra que após três meses desde a rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, três corpos e 15 cabeças esperam por exames de DNA para serem identificadas.
As cabeças foram encontradas em buscas sucessivas após a rebelião. Antes disso, 11 corpos foram identificados e liberados sem cabeça para as famílias sepultarem.
Desde janeiro os corpos estão no Itep. 
Terminada a rebelião, 26 corpos mortos e mais de 50 fugitivos foram contabilizados pelo governo do RN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário