terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Profissionais de Saúde evitam trabalhar em UPA's

Saúde e UPAs 
Dentre tantos problemas que a Saúde Pública enfrenta, um dos mais recentes é achar um profissional da área, seja médico ou auxiliar, disposto a trabalhar nas UPAs – Unidades de Pronto-atendimento. 
Em Natal, ou outro município, os novos concursados estão “correndo léguas” desse serviço que é pouco estruturado, mal remunerado, sobrecarregado e com elevada demanda de casos graves. 
Os gestores buscam no contrato emergencial sem concurso uma forma de recrutar os mais “audazes”.
Tribuna do Norte, 05 de fevereiro

2 comentários:

  1. Notícia inverídica, primeiro precisa saber descrever melhor essa categoria profissional que você nomeou como "auxiliar", faça também um levantamento mais apurado e verá que muitos profissionais convocados estão indo para as UPAs.

    ResponderExcluir
  2. A matéria é verdadeira! As UPAS não comportam a demanda de casos graves que enfrentam, não tem estrutura física e materiais para atendê-los, muitas não tem sequer raio X, ou estão quebrados, e os profissionais ficam mais estressados que se trabalhassem em um posto de saúde qualquer.

    ResponderExcluir