quinta-feira, 25 de abril de 2019

Machismo implícito na CMN

Machismo implícito
Não tem quem me convença do contrário. 
A proposta de redução do tempo, em caso de licença maternidade, para convocação de suplentes pela Câmara Municipal de Natal, tem um dedo de machismo. 
Além, é claro, de favorecer o suplente em questão. 

Na lista 
A advogada Lúcia Jales e o advogado Sebastião Jales estão na disputa para a vaga de desembargador do TRT-RN, através do Quinto Constitucional.

Defesa do Semiárido 
A governadora Fátima Bezerra aceitou convite do senador Jean Prates e participou do lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Convivência com o Semiárido. 
O principal objeto da frente é garantir recursos para políticas públicas de convivência com o semiárido, no Plano Plurianual (2020-2023).

Sigilo pra quê? 
A OAB/SP manifestou-se contra a decisão do governo federal de decretar o sigilo sobre estudos que embasaram a proposta de reforma da Previdência. Para a seccional, blindar o acesso à informação dos dados mostra que ou o governo não tem esses estudos; ou o governo não consegue dar garantia técnica dos números que deveriam ser apresentados, ou, finalmente, não deseja o debate com a sociedade.
Com a palavra o Secretário Especial da Previdência, potiguar Rogério Marinho.
Tribuna do Norte, 25 de abril

Nenhum comentário:

Postar um comentário