quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Cortes e demissões na Fiern

Cortes e demissões 
A propósito da nota sobre a crise na FIERN, que culminou com a demissão de 60 servidores e a redução na carga horária de mais uns tantos, um leitor avisa que as indústrias não fazem milagres. 
A Reforma Trabalhista, aclamada e aplaudida pelos empresários, acabou com a obrigatoriedade da contribuição sindical, portanto, reduziu drasticamente a arrecadação dos Sindicatos, Federações, Confederação e Ministério do Trabalho e Emprego. 
Na mesma forma, também foram reduzidas as arrecadações do Sesi e Senai que recebem percentuais - 1% e 1,5% sobre a folha de pagamento das Indústrias. 
Sem emprego, sem empregados, não há arrecadação. 

Os excluídos 
Mas, os demitidos alegam que no Sistema Fiern há os “imexíveis”. Dizem que os critérios de corte não ficaram claros. Enfim, o choro é alto.

Coluna Rosalie Arruda
Tribuna do Norte, 01 de agosto

Nenhum comentário:

Postar um comentário