quarta-feira, 15 de abril de 2020

Aos 94 anos, morre Rubem Fonseca


por/Lauro Jardim
Morreu no início da tarde no Rio de Janeiro um dos maiores escritores do Brasil, Rubem Fonseca.
A menos de um mês de completar 95 anos, Fonseca sofreu um infarto hoje, perto da hora do almoço, em seu apartamento, no Leblon. Foi levado imediatamente ao hospital Samaritano, onde morreu.
De acordo com um parente próximo, "ele não sofreu nada. Simplesmente, apagou como um passarinho". Sua filha, a escritora e roteirista Bia Corrêa do Lago, o levou para o hospital, mas os médicos não conseguiram reanimá-lo.
Talvez o maior contista brasileiro da segunda metade do século XX, Rubem Fonseca é autor, entre outros, de "Feliz ano novo" (1976), "A coleira do cão" (1963), "O cobrador" (1979).

Apesar da idade, Rubem Fonseca continuava a produzir em um ritmo raro. Somente nos últimos dez anos, lançou cinco livros: um romance ("José", de 2011) e quatro de contos ("Axilas e outras histórias indecorosas", "Amálgama", "Histórias curtas", "Calibre" e o derradeiro, "Carne crua", que chegou às livrarias há dois anos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário