sábado, 25 de abril de 2020

Ministério Público tenta gratificação para promotores mas esbarra no teto

Penduricalhos
Por falta de um nome mais atrativo, o Ministério Público do RN deixou de somar mais um penduricalho, a título de “Gratificação por Cumulação de Acervo”, aos seus já almejados salários. 
O assunto chegou a ser apreciado em sessão do Colégio dos Procuradores de Justiça, no mês passado. 
A ideia da criação da gratificação esbarrou no teto remuneratório constitucional. A comissão que analisou a proposta identificou ofensa ao sistema do subsídio, pelo risco de representar "penduricalhos". 
Um promotor de justiça do RN recebe 90,25% do subsídio do Procurador-Geral da República, algo em torno de R$35.889,11.

Tribuna do Norte, 24  de abril 

Nenhum comentário:

Postar um comentário