Home

 foto:Joana Lima

A estrutura cicloviária de Natal está sendo ampliada. Atualmente, a cidade conta com 90 quilômetros entre ciclovias, ciclofaixas e faixas compartilhadas. Até o final de 2024, após a finalização dos projetos que estão sendo executados pela Prefeitura, os ciclistas terão à disposição mais de 115 quilômetros de áreas adequadas para pedalar de forma segura. É na Zona Norte onde estão concentrados os principais investimentos da gestão no setor. Os canteiros centrais das principais avenidas da região passarão a contar com estruturas cicloviárias.

Serão aplicados R$ 6,2 milhões na execução desse projeto que pretende aumentar em mais 15 quilômetros a malha cicloviária da capital potiguar em até 12 meses. O prefeito Álvaro Dias dará a ordem de serviço para este projeto na próxima terça-feira, dia 10. Os espaços serão instalados nas Avenidas das Cirandas; Pico do Cabugi, Florianópolis; Guararapes, Nosso Senhor do Bonfim e Itapetinga. As ciclovias serão de mão dupla e vão contar com sinalização horizontal e vertical. Além disso, serão executadas melhorias no entorno das vias para trazer mais conforto, melhorar a acessibilidade e gerar mais segurança para pedestres e ciclistas.

“As principais cidades em todo mundo estão investindo para melhorar as condições de trafegabilidade e segurança para os ciclistas. Não poderíamos deixar de fazer isso aqui em Natal. Esse é um modal de transporte alternativo muito prático, econômico, ambientalmente sustentável, traz saúde e qualidade de vida e melhora a mobilidade urbana, diminuindo o tráfego de veículos. A capital potiguar caminha para ser referência em matéria de respeito aos ciclistas”, destaca Álvaro Dias. Ainda na Zona Norte, a Prefeitura está executando a requalificação da rua Maruim, na Redinha. A via também contará com uma ciclofaixa moderna e sinalizada.

Na Zona Sul, a estrutura cicloviária será reforçada com a continuidade do projeto de modernização da avenida Praia de Ponta Negra. A ideia da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) é criar um anel cicloviário na região, alcançando a Rota do Sol, conectando as principais ruas e avenidas do bairro. Já na Zona Leste, a avenida Rio Branco, principal corredor de mobilidade da região, também passou a contar com uma ciclovia na semana passada. Esse benefício está inserido no projeto de requalificação viária que a STTU está executando na região, melhorando as condições das calçadas da avenida.

Atualmente, Natal conta com ciclovias, ciclorrotas e faixas compartilhadas em todas as regiões. Existem espaços do gênero nas avenidas Prudente de Morais, Ayrton Senna, Café Filho, Omar O´Grady, no Viaduto do Baldo, Ponte Newton Navarro, seguindo pela avenida João de Deus, no bairro de Santos Reis, pela avenida Duque de Caxias e finalizando com a conexão à ciclovia existente na avenida Rafael Fernandes (também conhecida como avenida do Contorno). Além disso, a capital potiguar possui estruturas cicloviárias na avenida Dr. Solon Miranda de Galvão, interligando a avenida Roberto Freire ao Anel Viário do Campus Universitário; Capitão-Mor Gouveia; Deodoro da Fonseca; Hermes da Fonseca e Roberto Freire.

“Essa gestão tem uma sensibilidade enorme e vem investindo na adaptação da cidade para oferecer melhores condições e segurança para os ciclistas. São avanços inegáveis e significativos. Só quem tem a ganhar com isso é a cidade. Vamos diminuir a circulação de veículos, a presença de gases poluentes oriundos da queima de combustível dos carros também será menor e a vida útil da malha viária da cidade será maior. Quando o Poder Público investe nesse tipo de política pública, incentiva cada vez mais pessoas a trocarem o carro pela bicicleta”, observa Carlos Milhor, diretor do Departamento de Engenharia de Trânsito da STTU e membro da Associação dos Ciclistas do RN.

Poste um comentário

comente aqui..

Anúncio Publicitário

header ads

Anúncio Publicitário

Banner