Home

Entre os dias 8 e 10 de novembro, o Instituto de Pesos e Medidas do Rio Grande do Norte (IPEM/RN), órgão delegado do Inmetro, participou da terceira etapa da Operação Petróleo Real, que teve como objetivo fiscalizar postos de combustíveis.

A operação reprovou 99 bicos; emitiu 47 autos de infração; encontrou 21 produtos vencidos em postos de combustíveis e interditou seis bombas num só posto, cuja infração foi considerada a mais grave pelos órgãos de fiscalização. Estas e outras irregularidades somam 148, no total. Foram fiscalizados 422 bicos e 165 bombas e realizados 206 testes de qualidade.

A operação reprovou 99 bicos de bombas de combustível; emitiu 47 autos de infração; encontrou 21 produtos vencidos em postos de combustíveis. Numa das ações de fiscalização foram interditadas seis bombas em um único posto, cuja infração foi considerada a mais grave pelos órgãos de fiscalização. Estas e outras irregularidades somam 148, no total. Foram fiscalizados 422 bicos e 165 bombas e realizados 206 testes de qualidade.

A operação foi coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) por meio das secretarias de Operações Integradas (Seopi) e Nacional do Consumidor (Senacon). Participaram da operação o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-RN) e a Polícia Militar-RN.


Irregularidades

Os 99 bicos foram reprovados nos testes de qualidade por questões relacionadas aos lacres que podem permitir acesso indevido aos componentes internos, segundo o Inmetro, o que motivou os autos de infração emitidos pelo órgão.

Um estabelecimento foi interditado e autuado por comercializar combustível com teor de etanol anidro acima do permitido pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na gasolina aditivada.

*Com informações do MJSP

Poste um comentário

comente aqui..

Anúncio Publicitário

Banner