quinta-feira, 14 de julho de 2016

Com 73 dias de atraso, Defesa define atuação das Forças Armadas durante revezamento da Tocha Olímpica

Momento da passagem da Tocha Olímpica em Parnamirim, em 04 de junho
O Ministério da Defesa percebeu, com 73 dias de atraso, a necessidade de ter militares das Forças Armadas participando das ações de segurança durante o revezamento da Tocha Olímpica, evento previsto em 330 cidades brasileiras.
Nesta quinta-feira, 14 de julho, publicou portaria do ministro Raul Jungmann aprovando a Diretriz Ministerial que orienta a atuação dos militares nas atividades.
A justificativa: "A responsabilidade da segurança do evento caberá, predominantemente, aos Órgãos de Segurança Pública (OSP). Apesar disto, o revezamento é uma atividade de grande visibilidade na mídia nacional e internacional... existe a possibilidade de ser necessária a atuação das Forças Armadas em complemento às ações dos OSP."
Os Jogos Olímpicos acontecem daqui a 22 dias, em 5 de agosto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário