quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Brasil lidera ranking mundial em volume de arrecadação para governo com repatriação

Repatriação - I
Agora Inês é Morta. Está encerrado o Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária. Trata-se de um movimento mundial de acerto de contas. Motivo ou não de ufanismo, o Brasil lidera o ranking em volume de arrecadação para o governo, com a entrada de R$ 50,9 bi nos cofres públicos. 

Repatriação - II
O sucesso do programa só foi possível porque, apesar de problemas e dúvidas pontuais do projeto (os quais foram criados em grande parte a partir das mudanças legislativas), seu cerne era, de fato, bem feito. Dito isso é bem o momento de enviar encômios aos arquitetos da ideia - obra do ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy e do professor da Faculdade de Direito da USP Heleno Torres.

Repatriação - III
Ressuscitar Inês ? Renan Calheiros quer reabrir o programa, com a expectativa de dobrar a arrecadação. Será um trem da alegria, onde poderão embarcar os parentes de políticos. Cruz-cláudia, quer dizer, cruz-credo, dizem os especialistas. 

Repatriação - IV
Curiosidade. Onde estavam os valores que foram repatriados ?

País %
EUA 52
Ilhas Cayman 23
Reino Unido 5,7
Bahamas 3,9
Suíça 3,4


Causa estranheza a pequena participação de bufunfa na Suíça. De fato, o percentual ali equivale a "apenas" US$ 1,5 bi (cerca de R$ 4,7 bi). Ressalta-se que os recursos nos Cantões são, muitos deles, de origem duvidosa, eis que as regras eram/são menos rígidas. Em uma possível nova fase, como quer o presidente do Senado, permitindo-se a adesão ao programa de cidadãos até então proibidos - como parentes de agentes públicos -, teremos (querem apostar ?) uma alteração no quadro da origem dos recursos, com aumento significativo de participação da Suíça. 
Quem viver, verá. (Clique aqui)
______________

Nenhum comentário:

Postar um comentário