sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Construção Civil frustra a ideia do trabalhador usar FGTS para quitar dividas

FGTS
A autorização do saque de parte do FGTS para pagamento de dívidas, comentada ao longo da semana, não saiu da ideia. Os ministros alegaram a necessidade de novos estudos de viabilidade. 
Mas, o que sebe, foi o boicote da Construção Civil que temeu perder os recursos.


Cai a multa
Entretanto, o empresariado ganhou uma canja. Eles vão deixar de pagar gradativamente a multa ao governo em caso de demissão de funcionário. Pela regra atual, o empregador tem de depositar 10% do FGTS a que o empregado tem direito a título de multa.

Taxa referencial
Outro anúncio foi o aumento da rentabilidade para o trabalhador que atualmente recebe taxa referencial, usada como base para investimentos, mais 3%. Pela nova regra, metade do rendimento obtido pelo fundo será distribuído entre os cotistas. Segundo o ministro do Planejamento, o rendimento passará a ser parecido com o da poupança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário