segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Rebelião em presídio de Manaus deixa 56 mortos

Uma rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) em Manaus terminou com a morte de 56 presos, está sendo considerada a maior chacina no Brasil desde o Carandirú, em 1992.
A informação foi dada pelo secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes.
Segundo Fontes, o motim começou na tarde desse domingo (1º) e chegou ao fim esta manhã, após mais de 17 horas de banho de sangue, resultado da rivalidade entre duas organizações criminosas que disputam o controle de atividades ilícitas na Região Amazônica: a Família do Norte (FDN) e o Primeiro Comando da Capital (PCC).
Para resgatar todos os corpos, um contêiner será usado para mantê-los em condições apropriadas até a conclusão dos exames que identificarão as vítimas e as causas das mortes.
O complexo penitenciário abriga 1.224 e está localizado o km 8 da BR 174, que liga Manaus a Boa Vista. A unidade prisional, que tem capacidade de abrigar 454 presos, está superlotada.
Atualizado às 22:49

Nenhum comentário:

Postar um comentário