Prefeitura do Natal

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Operação Sempre Alerta: Ministério Público e Polícia Militar combatem pedofilia e abusos sexuais na Grande Natal


Com apoio da Polícia Militar, agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), cumpriram mandados de busca e apreensão em Natal e região metropolitana, com o objetivo de combater os crimes de abuso sexual e pedofilia. A operação Sempre Alerta resultou na prisão de um homem na terça-feira (21). As vítimas serão encaminhadas para serviços de assistência social do município onde residem e deverão se submeter a acompanhamento médico e psicológico. O abusador ficará à disposição da Justiça.

Durante as buscas na residência de um dos suspeitos, foram encontrados indícios da prática continuada e incessante de abusos sexuais contra crianças e adolescentes. A proximidade e a intimidade do suspeito com uma das famílias teria favorecido os abusos. Ainda foi possível constatar que os crimes ocorriam há pelo menos 10 anos, havendo indícios de que vítimas tenham filhos com o abusador. Ele mantinha as vítimas sob ameaças que fizeram com que elas se calassem por anos.

Diante das evidências, o MPRN requereu em caráter de urgência a prisão preventiva do suspeito, que foi apreciada e deferida pelo juízo competente, sendo de imediato cumprida pela Polícia Militar e pelo Gaeco. A ação contou com a participação de duas viaturas da Polícia Militar, 10 servidores do Gaeco, além de cinco promotores de Justiça, psicólogos e assistentes sociais do órgão.

Disque 127

O Disque Denúncia 127 é um canal direto do MPRN para denúncias de crimes em geral. O cidadão pode ligar gratuitamente para o número. A identidade da fonte será preservada.

Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por Whatsapp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para disque.denuncia@mprn.mp.br. Os cidadãos podem encaminhar informações em geral que possam levar à prisão de criminosos, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No Whatsapp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas.

fonte:MPRN

Nenhum comentário:

Postar um comentário