Home

GOVERNO DO RN
Bess, Lorraine e seu irmão Trevor
Testes de DNA revelaram o que foi descrito como o último mistério do Titanic. Um drama familiar que acompanhou por mais de um século o mais trágico acidente marítimo de todos os tempos.
Loraine Allison, então com dois anos de idade, estava viajando no navio com sua família quando ele afundou. Relatos iniciais disseram que ela tinha morrido junto com seus pais, mas nenhum corpo fora encontrado.
Nos anos que se seguiram, porém, uma reviravolta sensacional. 
Uma mulher, Helen Kramer, apresenta-se dizendo-se ser a filha e, aparentemente, capaz de fornecer detalhes fortes ​​para ser reconhecida pelos parentes. 
Ela então montou uma longa campanha para ser aceita pelos membros da rica família Allison, em face de sua forte oposição. Essa afirmação foi sustentada após sua morte pelos próprios descendentes de Kramer, em uma disputa judicial cada vez mais acirrada.
Agora, mais de um século após o naufrágio, o mistério foi resolvido.
Um grupo de "Titanicologistas" organizou testes de DNA de ambos os descendentes de Kramer e da família que morreu a bordo do navio e não revelou nenhuma ligação genética, expondo a reivindicação de décadas como uma brincadeira.
Segundos relatos, a garota desaparecida estava viajando com seus pais, Hudson e Bess, e seu irmão de sete meses de idade Trevor.
Seu pai era um empresário canadense e a família viajava com uma extensa comitiva de empregados quando o navio bateu no iceberg. 
Trevor foi resgatada em um bote salva-vidas por uma empregada, Alice Cleaver. 
Hudson, Bess permaneceram a bordo mesmo tendo muitas oportunidades para serem salvos, possivelmente porque estavam a procura da filha.
Apenas o corpo de Hudson foi recuperado. 
Com informações do The Telegraph

Poste um comentário

comente aqui..