sábado, 25 de abril de 2020

Ambientalistas denunciam crime ambiental em São Miguel do Gostoso

Blog de Assis
Crime ambiental
Ambientalistas de São Miguel do Gostoso estão em pé de guerra com a prefeitura local. 
Principal cartão postal da cidade, a lagoa do Cardeiro foi praticamente esvaziada depois que o prefeito Renato de Doquinha pôs seus tratores para abrir no local uma enorme vala, para escoar a lagoa para o mar. 
As águas arrastaram milhares de peixes e camarões para o mar, além de destruir dezenas de ninhos de tartarugas que tinham no entorno da lagoa.
Pior: sem água, a lagoa se transformou num mar de lama, com forte odor que prejudica moradores dos bairros/praias do Cardeiro e de Santo Cristo, banhados pela lagoa.
O crime ambiental já foi denunciado a órgãos ambientais do Rio Grande do Norte.

Construção irregular
Um morador da região informou à coluna que a construção de residências, bares e restaurantes feitos às margens da lagoa, levam a acumulação de água no local. Como choveu muito, as águas sobem e a prefeitura abre a vala, também irregularmente, para que a lagoa escoe para o mar.
É a velha história do homem agredindo o meio ambiente.

Tribuna do Norte, 24  de abril 

Nenhum comentário:

Postar um comentário