segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Governo do RN investirá R$ 9 milhões na proteção da população desassistidas


O Governo do Estado lança nesta terça-feira (04) o Programa “RN Chega Junto”, às 15h, na plataforma digital Zoom Meetings, voltado para a proteção socioassistencial de povos e comunidades tradicionais, população em situação de rua, refugiados, migrantes, pescadores artesanais, idosos e mulheres em situação de violência no contexto da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

No total, o “RN Chega Junto” terá investimento de R$ 9 milhões dos quais o Estado vai destinar R$ 4 milhões para aquisição de 60 mil cestas básicas neste momento em que a população em situação de vulnerabilidade vivencia situações de fome e insegurança alimentar.

A ação do Programa “RN Chega Junto”, direcionada a povos e comunidades tradicionais, vai desenvolver assessoramento e formação para trabalhadores do SUAS (Sistema Único de Assistência Social) nos 10 territórios do Rio Grande do Norte para identificar esta população e assim possibilitar o acesso à proteção socioassistencial e aos serviços de prevenção da Covid-19.

O “RN Chega Junto” também vai apoiar as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIS) existentes no RN para que no contexto da pandemia do novo coronavírus possam fortalecer e intensificar as ações de prevenção e proteção a idosos acolhidos, explicou a secretária do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas), Iris Oliveira, responsável pela coordenação do Programa.

De acordo com a secretária, o Programa também irá ofertar serviços de acolhimento e de apoio nutricional para refugiados e população em situação de rua e serviços de acolhimento para mulheres vítimas de violência doméstica/familiar. O serviço também vai atender filho(a)s dessas mulheres e envolverá, além do acolhimento, apoio psicossocial e jurídico, alimentação e respaldo à sua reinserção familiar e comunitária.

A “segurança de sobrevivência a riscos circunstanciais”, define Iris Oliveira, é uma das seguranças da política de assistência social que prevê a oferta, pelo poder público, de auxílios em bens materiais ou em pecúnia (ajuda financeira) de caráter transitório para as famílias, seus membros e indivíduos. O “RN Chega Junto também contemplará ações no campo da sobrevivência a riscos circunstanciais como a situação de fome e insegurança alimentar que muitas famílias em de vulnerabilidade enfrentam nesse contexto da Covid-19”.

Um comentário:

  1. Deus queira que não seja mais uma porta aberta para a roubalheira sob um rótulo de solidariedade humana

    ResponderExcluir