quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Cerâmicas feitas no Rio com DNA potiguar estão disponíveis em ateliê em Natal


A formação em Engenharia e a habilidade com números são duas coisas que ajudam e muito o ceramista Luís Filipe Azevedo na execução das suas peças. Sua sensibilidade e capacidade criativa, porém, são as responsáveis por torná-las únicas.

Nascido em Natal, Luís Filipe mudou-se para o Rio de Janeiro movido pelo desejo de ensinar, mas foi lá que acabou aprendendo as técnicas de cerâmica adotadas no seu novo ofício. É do pequeno ateliê no bairro de Botafogo que saem as criações da sua Tibau.


O nome, claro, faz referência às praias potiguares, já que, segundo ele, “as formas das falésias e as curvas das dunas de areia são inspirações permanentes”. Além disso, a palavra significa “entre rios”, exatamente como ele está: entre o de Janeiro e o Grande do Norte.

A primeira coleção do artista disponível em Natal abrigou-se na Fábrica de Engenhos, ateliê localizado na Rua Açu, 707, no bairro do Tirol. São peças multifuncionais, com uma estética única, feitas em alta temperatura, mas que aquecem mesmo é o coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário