terça-feira, 17 de novembro de 2020

Fátima Bezerra confirmou união de esforços para instalação da Mingyang Smart Energy no RN

Atenta à posição estratégica do Rio Grande do Norte como líder nacional na produção de energia eólica, a governadora Fátima Bezerra recebeu na tarde desta terça-feira (17), o vice-presidente da Mingyang Smart Energy, Larry Wang. A chefe do Executivo estadual deu continuidade à discussão sobre a instalação no RN da multinacional chinesa que ocupa a terceira posição em produção de energia offshore na China e o sexto lugar no mundo, atuando ainda com a produção de energia solar e elétrica.

O Governo do RN e a empresa discutiram, especificamente, novos investimentos para geração de energia eólica offshore (em alto mar). A governadora Fátima Bezerra declarou: “Não mediremos esforços para trazer estes investimentos para o nosso estado”. Empenhado no desenvolvimento do setor, em outubro o Governo do RN instalou o Grupo de Trabalho para o Polo em Referência em Produção de Energia Limpa e Renovável do Rio Grande do Norte, formado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), no âmbito da Câmara Setorial de Energia.

Segundo Larry Wang, a intenção da multinacional é instalar em solo potiguar uma fábrica de peças como turbinas, hélices e motores. Sobre os benefícios da vinda da Mingyang para o RN, ele disse que “não é somente entrar no mercado brasileiro, mas, ser um motor para o crescimento econômico e para o mercado da energia renovável regional”.

A empresa enviará ao Governo um plano de metas e itens necessários à sua fixação no RN. “Sinto um forte apoio da governadora e da sua equipe técnica. Trabalharei para que nosso projeto seja desenvolvido aqui”, finalizou o empresário. As usinas da Mingyang instaladas no mar já operam na China, Alemanha e Reino Unido, entre outros países, e produzem atualmente 8.3 mw cada.

ATLAS

Neste âmbito, o Governo do RN deu início em junho deste ano a um estudo para medir o percentual de energia através da captação do vento e dos raios solares. A gestão do projeto é da Secretaria de Desenvolvimento (Sedec) e a execução é do Serviço Nacional da Indústria (Senai).

Segundo o coordenador da Sedec, Hugo Fonseca, “este estudo é inovador. O Estado colocará suas próprias estações de medição eólica e solar, contribuindo para que aconteçam novos projetos em terra e em mar”, explicou.

Para tanto, serão injetados R$ 2.6 milhões na construção de cinco estações que ficarão distribuídas em regiões do RN. Até o momento já foram investidos cerca de R$ 700.000,00. A previsão é que, até a segunda quinzena de dezembro, as estações já estejam em pleno funcionamento.

foto:Sandro Menezes 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário