segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

O boletim do bardo hoje está de luto. 🖤




Boletim do Bardo n.° 07

Natal/RN, 13 de dezembro de 2020.


O boletim do bardo hoje está de luto. 🖤

Todos os dias eu tenho o privilégio de acordar com um sorriso de Alex.

Hoje foi diferente.

Eu o acordei com a triste notícia da interrupção do diálogo com o querido Marcelo Dieb. 💙🧀🍷

E a primeira expressão que vi no roto do bardo, foi a que acompanha uma lágrima caída. 😢

Alex não só batizou a coluna que Marcelo escrevia "Meu Bem Comer", como também batizou um dos amores dele (a filha, Bia) que atendia por '"tia velha" quando Alex telefonava pra falar com o amigo.

Felizes dos que nomeiam com bem querer.

E é assim que vamos lembrar do amigo: alguém que casou com um céu (Celeste), teve duas razões de viver (Marcelinho e Bia), apaixonou-se por Maria (a neta) e alimentava o corpo e a alma com maestria quando escrevia e cozinhava.

E o pior de tudo isso, além da falta que Marcelo vai fazer, é a impossibilidade de viver um rito tão importante, que é a despedida de quem se quer bem.

Ano difícil, não é? Corações.

Essa semana foi sensível.

Alex regou os olhos várias vezes, com lágrimas de quem está prestes de completar dois meses de renascimento.

Mas chorar é um dos atos mais lindos e nobres.

Ainda mais quando é a expressão de tudo que nos afeta por ora.

Na sexta-feira, dia 11, fomos ao Hospital do Corações com os nossos corações apertadinhos, fazer a tomografia, que inaugura a reta final dos exames necessários, pra resolvermos as pendências físicas que o acidente causou.

O empacotei todinho, na tentativa de proteger o bardo amado. 😷

Quarta-feira, 16/12, vou mostrar o resultado ao neurologista, que vai decidir o que deve ser feito em relação à lesão causada pelo traumatismo craniano.🤞🏾

Mas se Deus quiser, da mesma forma que o bardo absorve a estupidez humana (como diz ele), o organismo dele vai ter absorvido a hemorragia que restou. 🙏🏾

Pontuo agora a importância de observar o corpo.

O próprio e o do outro.

No banho, além de apreciar o corpito do bardo, observei alguns sinais que me inquietaram e aproveitei a saída da sexta e o levei para retirar esses sinais.

O homem vai entrar o ano, todo revisado e com 73km rodados e muito bem rodados.

As dores estão bem comportadas, esperando a vez e ordem de doer.

Às vezes, dói o ombro e quando passa, a perna dá sinal e assim seguimos com analgésicos e amor.

Ele está sendo acompanhado por três fisioterapeutas.

Essa semana conseguiu dar 5 passos com o andador, só freiou pelos incômodos das dores.

A recuperação está sendo muito boa e a força de vontade de voltar ao estado de independência tem contribuído baste.

Já já estamos dando cavalo de pau com a cadeira de rodas. Vocês vão ver!

Desculpem o boletim parco de detalhes, não dormi de ontem pra hoje.

Às vezes, a humanidade é implacável e é necessário viver os limites à flor da pele.

Vou aproveitar o cochilo do Bardo, pra descansar a minha estupidez.

Amanhã vai ser melhor que ontem!

Por hoje é isso, pessoal!

Um abraço de Mari. 👩🏾‍🦱

Um beijo de Alex. 👴🏻

E um até mais, no lugar do tchau!

Nenhum comentário:

Postar um comentário