Home


Com o trabalho pedagógico “Pandemia de Arte”, educador concorre com outras iniciativas que buscam contribuir com a qualidade da Educação Básica Brasileira


São Paulo, fevereiro 2022 – O Prêmio Educador Nota 10, maior e mais importante prêmio da Educação Básica Brasileira, já tem seus 50 finalistas. Revelada no dia 8 de fevereiro, a lista conta com trabalhos pedagógicos de educadores de 14 estados. Entre eles está Emanuel Alves Leite, professor de Arte do Instituto Federal do Rio Grande do Norte, em Pau dos Ferros (RN), que segue na busca por uma vaga entre os dez vencedores da 24ª edição do prêmio e pela chance de disputar o título de Educador do Ano.


O docente conquistou a Academia de Selecionadores com o trabalho Pandemia de Arte. Como apresentar uma atuação cênica em meio ao isolamento? Como trabalhar e interagir com conteúdos que demandam presença física? O caminho do professor e ator Emanuel foi inventar, junto com seus alunos, uma nova modalidade de arte: as “Cênicas Virtuais”, um processo criativo dialogado entre artes cênicas e audiovisuais.


Os encontros remotos e a criação colaborativa fizeram os participantes compreenderem na teoria e na prática o que constitui uma cena (cenografia, figurino, música, maquiagem, atuação) e aperfeiçoar formas virtuais de se comunicar com o público. A realidade dos estudantes, seus sentimentos, dores e posturas frente à pandemia podem ser vistas em suas produções cênicas, gravadas em audiovisual. A fragilidade emocional de todos deu margem para entrelaçar arte e saúde mental, pois o fazer e a expressão artística têm potencial de cura. Para alargar o repertório sobre o tema, os alunos assistiram ao filme O Coração da Loucura, sobre a psiquiatra Nise da Silveira, e ao documentário Hotel da Loucura, que mostra o projeto do ator e médico Vitor Pordeus.


Outras iniciativas

Entre os projetos selecionados, 7 são de Língua Portuguesa, 7 de Geografia, 4 de Matemática, quatro focados no aprendizado de crianças bem pequenas e mais quatro destinados a crianças entre 4 e 5 anos. História, Ciências da Natureza, Educação Física, Artes, Coordenação Pedagógica e práticas com Educação Especial tiveram 3 trabalhos cada. Completam a lista, dois projetos de Língua Estrangeira, dois destinados à Gestão Escolar, além de um para Biologia e um outro focado em Química.

Por ciclo educacional, são 22 aplicados no Ensino Fundamental – somados anos iniciais e finais –, 10 no Ensino Médio e 9 na Educação Infantil. Há ainda 5 trabalhos de Gestão Escolar e 4 focados na Educação Especial. A região do país com maior representatividade entre os finalistas é a Sudeste, seguida pela Sul, Nordeste, Norte e Centro-Oeste.


Reconhecimento e premiação
O reconhecimento e a valorização desses profissionais se dão por meio da divulgação na mídia, redes sociais e um certificado de participação a cada um dos 50 finalistas. Eles também aguardam com ansiedade a seleção dos 10 vencedores, que serão anunciados ainda em fevereiro, por meio das redes sociais da Fundação Victor Civita, do Prêmio Educador Nota 10 e de seus parceiros: Abril, Globo, Fundação Roberto Marinho, SOMOS Educação, BDO Brasil, Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes e Unicef.

Os 10 vencedores selecionados ganham um vale-presente no valor de R$ 15 mil, além de uma assinatura digital da Nova Escola. Os dez Educadores Nota 10 concorrem, ainda, ao prêmio Educador do Ano. O grande vencedor recebe mais R$ 15 mil de vale presente, totalizando uma premiação de R$ 30 mil. O Educador do Ano será conhecido em evento que será realizado em data a ser definida.

Confira a lista completa dos selecionados em:

https://premioeducadornota10.org/

Poste um comentário

comente aqui..

Anúncio Publicitário

Banner

Anúncio Publicitário

header ads