Home

Na Pinacoteca do Estado, a exposição multimídia intinerante O Sertão Virou Mar, do artista plástico potiguar Azol, que já passou por cidades como Rio de Janeiro, Recife e Fortaleza. Com obras de arte que têm estética inspirada no sertão brasileiro, traços extremamente criativos e contando com curadoria de Marcus de Lontra Costa, a exposição tem entrada franca, com abertura a partir das 19h. A partir do dia 25, passa a ficar aberta das 8h às 17h de segunda à sexta e das 9h às 16h aos sábados e domingos.

Azol, artista potiguar residente de São Paulo há quase 30 anos, com formação em Cinema e Artes Gráficas, se utiliza da fotografia, pintura, escultura, vídeo, colagem e de outras linguagens para desenvolver sua arte, que possui uma característica única. Além do Brasil, suas peças também já passaram por países como França e Estados Unidos.

O artista comenta como nascem suas obras: “para mim existe disciplina, foco, assiduidade, e metodologia. Essa é a fórmula que uso para construir um trabalho, criar um conjunto de obras”, diz Azol.

As obras dessa exposição foram desenvolvidas a partir de fotografias produzidas nos sertões do Rio Grande do Norte, Pernambuco, Sergipe, Alagoas e Bahia e unem elementos que rementem à construção de um sertão imaginário e utópico.

A exposição consta especialmente de fotomontagens, que são resultados da mistura de linguagens e diferentes estéticas, selecionadas a partir de seu acervo de mais de 6 mil fotografias que têm o sertão como tema recorrente; essas fotografias foram captadas em incursões pela rota do cangaço, quando Azol realizou laboratórios e pesquisas. É uma realização da Pinacoteca, do governo do estado do Rio Grande do Norte, da Fundação José Augusto, do Ateliê Azol e da Dila Oliveira Galeria.

SERVIÇO

Exposição O Sertão Virou Mar
Do artista visual Azol
Pinacoteca do RN - Palácio da Cultura
Praça Sete de Setembro, s/n - Cidade Alta
Entrada franca
De 24/05 a 24/07
De segunda a sexta-feira das 8h às 17h
Sábado e domingo das 9h às 16h
Necessário apresentar o comprovante de vacinação em dia

SAIBA MAIS SOBRE AZOL

Artista visual formado em Cinema e Artes Gráficas nos Estados Unidos, Azol dirigiu curtas-metragens e produziu programas para TVs como Manchete, Bandeirantes e Globo. Trabalhou com publicidade, criou conteúdo para internet e produziu vídeos institucionais para empresas.

Trabalha em caráter multidisciplinar, visando criar um diálogo com outras formas de expressão artística para fomentar um pensamento poético e sensível às diversas questões que movem o espírito e o fazer artístico. Produz trabalhos em pintura, escultura, colagem, mural, videoarte, literatura e fotografia.

Em 2016, entrou para o grupo de estudos de arte no ateliê do pintor Sérgio Fingermann, com o intuito de aprofundar suas pesquisas nas diversas linguagens com as quais atua. Participou de exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior (França, EUA e Nações Unidas) e de feiras de arte em Paris e Nova York.

Em setembro de 2021, iniciou uma jornada de exposições individuais pelo Brasil intitulada O sertão virou mar, com curadoria de Marcus Lontra, iniciando pelo Centro Cultural Correios, no Rio de Janeiro. A exposição já passou pelo Centro Cultural Cais do Sertão, no Recife, e pelo Sobrado Dr. José Lourenço, em Fortaleza (SECULT – CE). A partir de maio de 2022, a exposição estará na Pinacoteca Potiguar.

Azol tem obras nos acervos do Centro Cultural Correios (Rio de Janeiro), na Pinacoteca Potiguar (Rio Grande do Norte), na Fundação Capitania das Artes (Funcarte - Prefeitura de Natal) e no Sistema FIERN (Federação da Indústria e Comercio do RN). Em 2020, recebeu o diploma comemorativo da fundação da cidade de São Paulo pela Academia de Ciências, Letras e Artes.

Para conferir o trabalho de Azol acesse o Instagram @azol.art.

Poste um comentário

comente aqui..

Anúncio Publicitário

Banner

Anúncio Publicitário

header ads