Home

Foi encontrado morto o vigilante Claudinei Coco Esquarcini, um dos diretores da Associação Recreativa Esportiva Segurança Física de Itaipu (Aresf), em Foz do Iguaçu (PR), local em que aconteceu o assassinato do guarda municipal e tesoureiro do PT, Marcelo Arruda, em 9 de junho. 

A informação é do jornal Estado de Minas.

Claudinei seria o “responsável pelo fornecimento de senhas” das câmeras de segurança na Aresf e teria permitido o policial penal federal Jorge José Guaranho, acusado de ser o autor do assassinato do petista, ver as imagens da festa de aniversário da vítima que tinha como tema uma celebração ao Partido dos Trabalhadores. Guaranho estava em um churrasco em outro clube quando assistiu às cenas da festa de Arruda.

Um outro vigilante da Associação, chamado José Augusto Fabri, disse em depoimento à Polícia Civil do Paraná que a permissão para ver as câmeras não era um procedimento comum e afirmou que Claudinei era responsável por permitir acesso às imagens das câmeras de monitoramento do clube onde Arruda foi morto.
A defesa da Arruda esclareceu que o vigilante poderia ter repassado imagens da celebração ao policial penal federal, que posteriormente viria a cometer o assassinato. Claudinei conhecia o policial Guaranho, ex-diretor da Aresf e acusado de ser o autor do assassinato de Marcelo Arruda.

ATUALIZAÇÃO ÀS 18:07:
Em nota, a Polícia Cívil afirma que ele se suicidou: “Imagem de câmera de segurança mostra que ele [Claudinei] estava sozinho quando se jogou de cima de um viaduto. Foi socorrido com vida, mas não resistiu e entrou em óbito”.
Fonte: Congresso em Foco

Poste um comentário

comente aqui..

Anúncio Publicitário

Banner