Home

Créditos: Natália Oliveira
Anna Greta, Pedro Eduardo, Madis Kallas e a governadora Fátima.

Porto Indústria, geração offshore, hidrogênio e amônia verdes ampliam potencial do RN


A governadora Fátima Bezerra cumpriu mais uma agenda importante na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP27). Nesta quinta-feira (17), em Sharm el-Sheikh, a Governadora do Rio Grande do Norte se reuniu com o presidente do IBP - Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás, Roberto Ardenghy, e com a presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), Elbia Gannoum.

Fátima, acompanhada do diretor-presidente do Idema, Leon Aguiar, apresentou projetos e estudos elaborados pelo Governo do Estado para o setor de energias renováveis, como o projeto do Porto Indústria Verde - que vai oferecer infraestrutura para investimentos em produção de energia onshore e offshore e produção de hidrogênio e amônia verde.

A governadora marcou uma reunião para o próximo dia 30, em Natal, com dirigentes do IBP e da Abeeólica que se comprometeram a trazer investidores e empresas do setor para conhecer os projetos. A Total Energies SE, grupo empresarial do setor petroquímico e energético com sede mundial em La Défense, maior centro financeiro de Paris, é uma das interessadas. A empresa está presente em mais de 130 países e emprega 100 mil pessoas.

"Tivemos mais uma agenda em prol do desenvolvimento do Rio Grande do Norte aqui na COP27. Saímos da reunião com excelente perspectiva de consolidarmos novos investimentos e geração de muitos empregos e renda para o RN, que tem posição geográfica estratégica e poderá vir a se consolidar como um hub para os investimentos em energias renováveis", afirmou Fátima Bezerra. “É o Rio Grande do Norte traçando caminhos sustentáveis”, comemorou a governadora.

O diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento do Meio Ambiente do RN (Idema), Leon Aguiar, considerou a reunião como de grande importância para o Estado. “Apresentamos projetos e estudos elaborados pelo Governo do RN, mostramos a liderança do Estado no setor de energias renováveis, o atlas solar e eólico, os estudos para o Porto Indústria Verde, que, inclusive, tem sugestão de localização e detalhamento para instalação de unidades de produção e confecção de insumos necessários à estrutura de geração de energia onshore e offshore e para produção de hidrogênio e amônia verde".

Roberto Ardenghy disse que o RN integra a nova fronteira exploratória no setor de óleo e gás natural, denominada margem equatorial. "Área também tem forte potencial para energias renováveis. O Rio Grande do Norte já é um produtor importante e nós vamos levar grupos de investidores para conhecer este potencial e o Porto Indústria Verde", declarou.

Elbia Gannoum, presidente da Abeeólica, destacou a importância do Porto Indústria Verde no atual processo de transição energética. "O IBP nos traz a importância de aproveitar a margem equatorial, o gás e petróleo já existente no Estado. E nós da Abeeólica entendemos a importância de continuar investindo em eólicas onshore e offshore. Nos contatos aqui constatamos que o Governo do RN enxerga as oportunidades e trabalha para consolidar os novos investimentos", pontuou.


Recursos florestais

A governadora também assinou memorando de entendimento com o governo da Estônia, através do ministro Madis Kallas, e da empresa Timbeter, para uso de solução tecnológica destinado a melhorar o controle de recursos florestais e madeireiros no RN.

Em outra agenda, representando os Estados do Nordeste, o diretor do Idema/RN, Leon Aguiar, foi um dos palestrantes do Painel Sustentabilidade dos Biomas Brasileiros, organizado pela Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema). “Falei sobre a importância do Bioma Caatinga para a região, sobre a riqueza da biodiversidade existente e do grande desafio de encontrar o equilíbrio entre o desenvolvimento econômico e o socioambiental para a localidade onde está situada a segunda maior densidade populacional dos País, com mais de 56 milhões pessoas", disse Leon.

O painel foi realizado durante toda a manhã no Hub do Brazil na Cop27 e contou com a presença da presidente da Abema, Mauren Lazzaretti; do Secretário Estadual de Meio ambiente do Amazonas, Eduardo Taveira; da presidente da Cetebs São Paulo, Patrícia Iglecias, e do secretário-executivo de Meio Ambiente de Santa Catarina, Leonardo Porto.

Poste um comentário

comente aqui..

Anúncio Publicitário

Banner