Home

Um estudo realizado por pesquisadores da USP e da Universidade Federal Rural de Pernambuco relata a primeira evidência de cicatrizes de acasalamento em fêmeas de tubarão-tigre Galeocerdo cuvier no Arquipélago de Fernando de Noronha.

Os resultados dos registros de sete fêmeas feridas sugerem que a atividade de acasalamento pode ocorrer entre fevereiro e agosto. Essas fêmeas mediam entre 267 e 372 cm de comprimento total, o que está alinhado com estudos anteriores relatando o tamanho na maturidade sexual para tubarões-tigre do Atlântico.

Embora algumas fêmeas exibissem feridas cicatrizadas, três delas apresentavam feridas abertas e recentes. Ao G1Pe, a bióloga Bianca Rangel disse que as cicatrizes são ‘mordidas de amor’”. Uma das fêmeas também apresentava cloaca inchada e vermelha.

Também relatamos a primeira fêmea de tubarão-tigre presumivelmente grávida da região. Embora esporádicas, as observações aqui relatadas indicam a importância da região para a reprodução do tubarão-tigre nas águas do Atlântico oeste equatorial.

O estudo foi publicado na Environmental Biology of Fishes.

Poste um comentário

comente aqui..

Anúncio Publicitário

Banner