Home

GOVERNO DO RN
O segundo dia de programação da Semana Estadual do Meio Ambiente foi marcado por inúmeras atividades no Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, no Parque das Dunas, Cajueiro de Pirangi e em demais Unidades de Conservação. A temática do protagonismo feminino foi um destaque desta sexta-feira (2), ressaltando a necessidade das mulheres em ocupar espaços de debates, como o da sustentabilidade.

Incluir, partilhar e oferecer oportunidades. A SEMA criou um espaço para valorizar o empreendedorismo feminino. Durante todo o dia aconteceu a Feira Mulheres que Fazem, realizada no Espaço Conexões, na sede do órgão ambiental, com moda sustentável, gastronomia, música e artesanato. Uma das expositoras da Feira foi dona Liana Amorim, que desenvolve seus produtos tendo o coco como matéria-prima. Farinha, óleos, sabonetes esfoliantes, artesanato, foram alguns dos produtos vendidos.

Casada com o técnico agrícola José Eromildo, a dupla trabalha junta em todo o processo de produção, desde a colheita da fruta até a exposição dos produtos em feiras. “Aproveitamos tudo da planta, nada se perde na produção. Moramos em uma granja, em Macaíba, que possui muitos coqueiros. Ganhamos um moinho de um amigo nosso e depois criamos uma máquina para auxiliar na produção dos nossos produtos”, afirmou Liana Amorim.

Cerca de 30 expositoras participaram do evento, mostrando seus produtos a todos os visitantes da SEMA 2023.

Segundo a subcoordenadora de Educação Ambiental do Idema, Iracy Wanderley, a Feira Mulheres que Fazem é um instrumento de fomento a pequenos negócios. “A pauta ambiental é transversal, então estamos cumprindo nossa missão de ofertar espaços a fim de valorizar o trabalho e o empreendedorismo feminino. Este também é um dos objetivos da agenda 2030”, destaca.


Outras atividades da SEMA

Ao longo do dia, a programação seguiu a todo vapor fora dos muros do Idema. O Cajueiro de Pirangi e o Parque das Dunas também promoveram atividades, como oficina de terrário, exposição fotográfica, minicurso sobre Libras, trilhas interpretativas e educativas. Na Reserva Ponta do Tubarão aconteceram oficinas de placas de madeira, a Trilha dos Olheiros: observação da fauna e visita ao recinto de aclimatação de peixe-boi.

O órgão ambiental montou um espaço com o cubo gigante dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU), e esculturas do artista Jô Bonfim.

Poste um comentário

comente aqui..