sexta-feira, 28 de agosto de 2020

STJ afasta Witzel do cargo de governador e tenta prender Pastor Everaldo

Governador do Rio Wilson Witzel e Pastor Everaldo participam de encontro do  PSC no Tocantins
O Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou, nesta sexta-feira (28), o afastamento imediato do governador Wilson Witzel (PSC) do cargo por irregularidades em contratos na saúde.

O vice, Cláudio Castro, assume o governo do RJ.
Segundo apurou G1RJ, o STJ também expediu mandados de prisão contra o Pastor Everaldo, presidente do partido; Lucas Tristão, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico; Sebastião Gothardo Netto, médico e ex-prefeito de Volta Redonda.
Witzel se defende: "estou sendo massacrado politicamente"
Havia ainda mandados de busca e apreensão:
contra a primeira-dama, Helena Witzel;
contra o presidente da Alerj, André Ceciliano;
no Palácio Guanabara -- sede do governo.

A ordem de afastamento e os mandados de prisão é decorrência das investigações da Operação Favorito e da Operação Placebo -- ambas em maio, e da delação premiada de Edmar Santos, ex-secretário de Saúde.
A Procuradoria-Geral da República (PGR) afirma que o governo do RJ estabeleceu um esquema de propina para a contratação emergencial e para liberação de pagamentos a organizações sociais (OSs) que prestam serviços ao governo, especialmente nas áreas de saúde e educação

Nenhum comentário:

Postar um comentário